Arquivo para janeiro, 2008

Falsos Sonhos

Posted in Tristes on 08/01/2008 by Carlos Jorge

FALSOS SONHOS

Autor: Carlos Jorge


Sonhos acabam facilmente?

Pergunto para minha mente

Eu desejei fingir,

Eu desejei mentir,


Sonhos se realizam facilmente?

Pergunto para minha mente

Eu não consegui,

Eu não prometi,


É tudo falso! É tudo fantasia…

Eu desejei omitir, encobrir…

É tudo mentira! É falso!

Desejei isso para mim mesmo


Agora peço em oração,

Que eu seja absolvido,

De toda essa confusão,

Que isso seja esquecido.


Sonhos, eles são reais?

Meus desejos são falsos?

Eu desejei isso para mim…

Sonhos, impossíveis e distantes…

19 de dezembro de 2007

O Dia dos Dias

Posted in Sonetos on 04/01/2008 by Carlos Jorge

O DIA DOS DIAS

Autor: Carlos Jorge

Estar assim é tão importuno.

Mas aquele dia vai chegar…

Certamente chegará,

Para me remediar…

Estar aqui, neste mundo.

Esperando o dia dos dias…

Simplesmente chegará,

Quando ele vai chegar…?

O dia dos dias virá em breve…

Espero neste dia poder fruir,

Daquele amor que vou sentir.

O dia dos dias acabará célere…

Por isso eu não posso dormir,

Pois eu quero ver você sorrir.

1 de janeiro de 2008

Quer ver o Sol?

Posted in Normal on 03/01/2008 by Carlos Jorge

QUER VER O SOL?

Autor: Carlos Jorge

Dê-me a mão,

Eu te convido,

Para ver o sol,

Dê-me a mão,

Ande comigo,

Até o Sol,

Dê-me a mão,

Veja comigo,

O pôr-do-sol,

Dê-me a mão,

Espere comigo,

A volta do Sol.

20 de dezembro de 2007

Soneto da Timidez

Posted in Sonetos on 03/01/2008 by Carlos Jorge

SONETO DA TIMIDEZ

Autor: Carlos Jorge

Sempre me envergonho,

Das coisas que dizem a mim,

Sempre me desencontro,

Quando se dirigem a mim…

Eu não tenho a destreza,

Para dizer em palavras cultas,

Eu não tenho a beleza,

Para mostrar vontades ocultas…

Em vezes me mostro superior,

Quando eu mesmo duvido de mim,

Eu sei que tenho um forte interior…

Mas eu ainda não sei utilizar,

Estou aprendendo comigo mesmo,

E sei que na hora certa vou poder mostrar.

20 de dezembro de 2007

A Dona da Beleza

Posted in AMOR on 02/01/2008 by Carlos Jorge

A DONA DA BELEZA

Autor: Carlos Jorge


Eu fui ao céu,

Quando a vi,

Olhos cor de mel,

Cabelos negros,

Corpo pulcro,

Formas perfeitas

A Dona da Beleza,

À noite ela aparecia…

E à noite ela brilhava,

Ela era a mais bela!

Ela é a mais bela!

Nem a branca lua,

Se iguala a tua beleza,

Cheia de gentileza,

Gestos e destrezas…

Ela é A Dona da Beleza…

Voltei ao chão…

Acordei do sonho,

Mas ainda posso vê-la,

Basta teu nome pronunciar…

A Dona da Beleza.

20 de dezembro de 2007

A Luz

Posted in AMOR on 01/01/2008 by Carlos Jorge

A LUZ

Autor: Carlos Jorge


Aquela luz na minha frente,

Ela apareceu de repente…

Uma luz alegre, um fulgor lindo.

E aos poucos eu vou me aproximando,

Aos poucos eu vou me encantando,

Dou passos medrosos e regulados…

É como se a luz me chamasse,

É como se a luz falasse…

E eu simplesmente sigo em frente,

Sigo cheio de medo,

Cheio de receio, pois…

A luz é tão bela, tão brilhante…

Que às vezes me indago:

“Devo eu ir até essa luz?”

Tenho medo,

Tenho muito medo,

Tenho medo de ofuscar essa luz…

Tenho medo de apagar essa luz…

Mas isso não é tudo,

Tenho medo de que a luz me faça mal.

Tenho medo de ficar cego por ela,

Esse encanto que vem dela

É belo e misterioso,

Um enigma glorioso…

Uma trilha foi feita sob meus pés,

Estou seguindo esta trilha…

Para ver o que há de tão especial nessa luz.

27 de dezembro de 2007